11/06/2016

Filmes: Como Eu Era Antes de Você




Título:
Como Eu Era Antes De Você (Me Before You)
Diretor: Thea Sharrock
Ano de Lançamento: 2016
Gênero: Drama, Romance

Elenco:Emilia Clarke, Sam Claflin, Janet McTeer, Charles Dance, Brendan Coyle e Jenna Coleman

Sinopse: Will (Sam Claflin) é um garoto rico e bem-sucedido, até sofrer um grave acidente que o deixa preso a uma cadeira de rodas. Ele está profundamente depressivo e contrata uma garota (Emilia Clarke) do campo para cuidar dele. Ela sempre levou uma vida modesta, com dificuldades financeiras e problemas no trabalho, mas está disposta a provar para Will que ainda existem razões para viver.

Como amante da história, aproveitei que ocorreu pré-estreia de Como Eu Era Antes de Você em um horário razoável e em várias cidades e antecipei o filme, que estreia oficialmente apenas no dia 16/06 - a pré-estreia ocorre de 09/06 a 12/06. Já escrevi uma resenha do livro no endereço antigo e da continuação. Prometo repostar posteriormente. Por enquanto, podem acessar através destes links: Como Eu Era Antes de Você e Depois de Você.

Expectativa era o que não faltava para essa estreia. Várias imagens já haviam sido divulgadas e o trailer já mostrava boa parte da emoção que nos esperava. Então, restava a pergunta: haveria mais para se ver? Sim, haveria. Muito mais para ver, rir, se emocionar e chorar nesta fantástica adaptação.

Para quem não leu os livros, Como Eu Era Antes de Você conta a história de Lou e Will. Will é um jovem rico e amante da vida que sofre um acidente e se vê preso a uma cadeira de rodas, sem perspectivas de melhoras e sob condições bastante difíceis. Lou é uma acomodada garçonete do interior que acaba de perder seu emprego, aceitando cuidar de Will por precisar ajudar financeiramente a família. O que ela não sabe ao chegar na casa de Will é que ela terá que fazer de tudo para mostrar a ele que existe esperança e que ele pode ser feliz novamente. Antes que o tempo acabe, Lou precisa fazê-lo enxergar que existe uma vida diante de seus olhos - e talvez ensinar a lição a si própria

Se você se emocionou com o livro, será impossível não se emocionar novamente. O filme mal começa, e as lágrimas já aparecem com o acidente de Will. E mesmo quem não leu o livro sente a intensidade das cenas. Sam Claflin e Emilia Clarke deram vida aos personagens de forma quase idêntica às descrições de Jojo Moyes. Impossível dizer que não se via Lou e Will neles. Assim também foi com os demais personagens, sobretudo a mãe de Will, Nathan - que auxiliava Will - e Treena - irmã de Lou.



A maior parte das cenas icônicas do livro foram retratadas com fidelidade, e era como se eu o estivesse lendo novamente. O amor de Lou e Will foi mostrado nas cenas cômicas iniciais, que mostravam as tentativas de aproximação de Lou e a relutância de Will, nas cenas românticas em que eles encontravam um pouco de felicidade e também nas cenas tristes, que indicavam o caminho que seria percorrido pelo casal. Houve cenas deixadas de lado? Impossível um filme retratar todas as cenas de um livro. Todavia, creio que as mais significativas foram colocadas na tela e de forma bastante emocionante.



Houve apenas uma cena deixada de lado da qual senti falta. Quem leu o livro sabe que acomodação de Lou e parte de sua personalidade são decorrentes de um evento da sua adolescência, evento este que não foi mencionado na adaptação. Embora ache que fosse parte significante do enredo - uma contraposição aos problemas de Will, demonstrando que mais acontecimentos na vida podiam paralisar uma pessoa, de modos diferentes -, entendo as razões pelas quais houve o corte. Abordar o assunto tornaria o filme muito mais pesado do que se pretendia e talvez não houvesse um modo adequado de abordar o fato, pelo menos não dentro da proposta do filme. Ainda, não acho que algo assim deva ser colocado sem o devido respeito ou reflexão. Então prefiro que não esteja na tela do que esteja de forma imprópria.

No mais, não tenho o que reclamar da adaptação. Foi extremamente fiel aos livros - o que é difícil ocorrer -, e as poucas mudanças (a irmã de Will não aparece, e o affair de seu pai não é mencionado), fora a que relatei anteriormente, foram decisões certas a serem feitas tendo em vista o tempo de filme. Além de fiel, foi quase tão emocionante e tocante quanto o livro, com uma trilha sonora maravilhosa, levando quase a sala de cinema inteira às lágrimas. É um filme para amar e para chorar, para compreender as motivações de todos e para enxergar a vida como ela é.



Indico o filme mesmo a quem não se apaixonou pela história. Ver as cenas é uma experiência diferente de ler suas descrições. Ver um olhar, um beijo, pode mudar tudo. Então, quem não amou o livro pode amar o filme. Quem amou o livro vai se apaixonar ainda mais por Lou e Will. E quem não conhecia os dois e gosta do gênero amará o romance e talvez até tenha vontade de conhecer a obra que originou o filme.


4 comentários:

  1. tô aguardando ansiosamente esse filme, me apaixonei e me emocionei com livro e espero que ocorro o mesmo com o filme!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ocorrer, sim. É uma das melhores adaptações a que já assisti. Bastante fiel e emocionante!

      Excluir
  2. Gente, quero demais esse filme,o livro é incrível e vou ver esse filme chorando até a morte hahaha

    ResponderExcluir