03/06/2016

Nós lembramos: Maggie Smith



Homenagens in memoriam são muito comuns nas mídias em geral. Mas eu sempre achei isso bem injusto. Intérpretes do cinema, TV e teatro, músicos/cantores, escritores, cientistas, roteiristas e afins merecem reconhecimento pelo seu trabalho enquanto vivos. Eles merecem ver e saber que são admirados. E, por isso, decidi começar uma coluna quinzenal falando brevemente sobre a carreira de alguns de nossos ídolos do cinema e da TV. Peguei emprestado o título dos props sobre os vitoriosos dos Jogos Vorazes :P
Para começar, quem melhor do que a maravilhosa Maggie Smith?


Dados Pessoais

Nome completo: Margaret Natalie Smith
Data de nascimento: 28 de dezembro de 1934
Natural de: Ilford, Essex, Inglaterra

Maggie tem uma formação familiar comum, pais e dois irmãos gêmeos mais velhos. Sobre sua infância pouco se sabe, mas sabemos que sua carreira no teatro começou em 1952, na Universidade de Oxford.  Iniciou como atriz de teatro e em 1956 fez seu primeiro filme, Child in the House. Em 1959 juntou-se a compania Old Vic, onde ganhou maior reconhecimento e começou a receber indicações e prêmios. Em 1963 juntou-se ao National Theatre e interpretou papéis importantes em grandes peças como Othelo, Miss Julie e Muito barulho por nada. Em 1969 Maggie teve seu nome lançado ao mundo ao vencer os prêmios de melhor atriz do Oscar e do BAFTA (British Academy Film Awards) por A primavera de uma solteirona. Ela jamais esqueceu no teatro, mesmo quando começou a receber mais e mais propostas do cinema e da TV. Tornou-se uma queridinha do meio artístico e era considerada muito atraente.


Em 1978, por California Suite, Maggie ganhou seu segundo Oscar juntou ao Globo de Ouro e o Kansas City Film Critics Circle Award, dessa vez como Melhor Atriz Coadjuvante. Ela venceu inúmeros outro prêmios, especialmente do BAFTA. Foi indicada inclusive ao Tony Awards (principal prêmio do teatro Norte Americano) pela peça Private Lives.

Maggie está atualmente no ar como Violet Crawley, na aclamada série Downton Abbey, cuja trama se desenvolve no início do século XX e se acompanha a aristocracia inglesa. Essa série entrou para o Guiness como ''série de língua inglesa mais aclamada pela crítica''. Olha a moral.

Em 2001, a atriz ganhou os corações Potterheads ao interpretar (e dar um shooow) a honrada e justa professora McGonagall. Durante as gravações de HP e o Enigma do Príncipe, em 2007, Maggie descobriu um câncer de mama. Apesar de estar fazendo quimioterapia, recusou-se a atrasar as gravações do filme. É ou não uma mulher de fibra?


Melhor cena!

Curiosidade: Maggie recebeu o título de Dama do Império Britânico e uma Comanda do Império Britânico. Que chique.

Acesse a filmografia completa de Maggie aqui.

Quotes

Um ator é alguém que comunica palavras e emoções de outra pessoa para uma audiência. Não sou eu. É o que os escritores querem que eu seja.
Quando eu comecei a atuar há quase 50 anos, não era sobre fama. Era sobre atuar.
A quimioterapia foi muito peculiar, algo que faz você se sentir muito pior do que o próprio câncer, uma coisa muito desagradável. Eu costumava ir ao tratamento sozinha, e quase todo mundo estava com alguém. Eu não teria gostado disso. Por que você faria alguém ir nesses lugares?

E é isso, pessoal. Quem vocês querem ver na próxima? 

Um comentário:

  1. Achei muito legal esse tipo de homenagem. Sempre vejo posts assim para artistas que já morreram e, bom, é algo bonito de se ver também. Mas, realmente, esquecemos da infinidades de talentos que ainda residem nesse mundo.

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir