16/10/2016

Entrevista: Rô Mierling - Nova escritora na DarkSide Books


 
 
Há pouco tempo soubemos de algo realmente ótimo: uma escritora nacional assinou contrato com a DarkSide Books. E quem mais seria, senão a Rô Mierling, já conhecida na blogosfera pelo seu trabalho no gênero thriller/suspense? Parabéns, Rô! O CeV conseguiu uma entrevista com ela para falar sobre seu livro ''Diário de uma escrava''. Venha conferir e saiba mais sobre a história!


1. Quando/ você decidiu escrever thrillers? É seu gênero favorito como leitora também?

R- Gosto desse gênero desde meus 11 anos. Lia de tudo nesse sentido e quando comecei a escrever, naturalmente me voltei para terror/suspense e horror .

2. Quando "Diário de uma escrava" começou a fazer sucesso no wattpad... Como foi para você?

R- Muito motivador e recompensador saber que leitores gostam e vibram com historias dramáticas e reais.

3. Como veio a oportunidade de assinar com a DarkSide?


R- Enviei o original, eles gostaram e me chamaram. Pura química combinada.

4. Como você se sente agora que entrou para esse time como a primeira Escritora nacional da DS? Orgulhosa? Nervosa?

R- Tri tensa, tri ansiosa, mas Tri feliz. É uma alegria imensa e acredito que vamos somar muito para destacar a literatura nacional .


5. Nos fale sobre seu lançamento: por que adicioná-lo à wishlist? De onde surgiu a ideia da trama?


R- O livro é um tema que todo mundo deveria ler e saber, porque todo mundo tem uma irmã, uma filha, uma amiga que pode sumir amanhã. E aí? Fazer o quê? O terror psicológico de não saber onde está a pessoa querida e o pior: o terror de ser raptada para nunca mais ser devolvida ao lar são realidades que existem e devem ser conhecidas pelos leitores.

A ideia surgiu dos meus estudos sobre escravidão e violência sexual e feminina. É um cenário real e aterrorizante, impossível não escrever sobre ele.
 
Sobre o livro
 
Visceral e verdadeira


No Brasil, todo ano, 250 mil pessoas somem sem deixar vestígios. Desse total, 40 mil são menores de idade, dos quais um terço são meninas destinadas a fins sexuais. Muitas escapam ou são encontradas, contando histórias terríveis; outras nunca mais são vistas com vida. 

O sofrimento e as reviravoltas de uma menina sequestrada por um psicopata, mostrando o lado doentio e uma visão deturpada do sexo, e o uso da mulher como objeto sexual. É disso que trata O Diário de uma Escrava, um romance baseado em fatos reais, de Rô Mierling, um dos próximos lançamentos da DarkSide® Books.

Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte. 

Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, Diário de uma Escrava apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo. 

Através de Laura, raptada ainda adolescente por um homem que ela chama de “Ogro”, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. O “Ogro”, um homem aparentemente comum, honesto e “acima de qualquer suspeita”, mantém Laura presa em uma casa afastada, onde abusa dela sexual e mentalmente, alegando ser ela o seu verdadeiro amor. Laura, compreensivelmente, só pensa em escapar dali. Mas agora ele parece estar mudando. Será que é o melhor momento mesmo para fugir?... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir.

Munida dos melhores livros e pesquisas sobre o assunto — incluindo de casos reais ocorridos na Europa e nos Estados Unidos — e também uma grande admiradora do trabalho de Ilana Casoy, Rô sabe que não podemos fechar os olhos para essa realidade. E é por isso que sua narrativa é detalhista e, por vezes, até impiedosa. No entanto, é através da ficção que ela tenta mostrar um sofrimento verdadeiro. Um de seus objetivos como escritora é mostrar, de forma crua e realista, como a mulher pode atingir “níveis degradantes através de situações impostas pelo homem e pela sociedade”. Para Mierling, “a escrita não tem sexo. A mente não tem sexo, e a imaginação e a criatividade muito menos”.

A autora já organizou diversas antologias, além de ter autopublicado e colocado no Wattpad mais de dez livros. Embora escreva ficção, ela transmite um pouco da própria trajetória e de seu cotidiano em suas histórias. Nas obras dela, não há amores melosos, flores e corações. Coisas como essas podem até existir para outros escritores, mas Rô convive com sombras o tempo todo, embora saiba também apreciar o sol. No seu mundo não há espaço para fantasias. “Se eu não acordar para trabalhar, morro de fome, não tenho ninguém por mim. Luto para não ficar doente, não ser vítima de violências, não ficar louca e, ainda assim, chegar à noite de mais um dia. Isso não é fácil, é dark”, explica ela.

A preferência pelo terror e suspense psicológico é naturalmente refletida em seus livros. Na sua nova casa editorial, Rô quer apresentar um terror real, o mal que pode brotar em qualquer um de nós “como forma de alerta a respeito da vida não ser tão florida quanto se espera”. 

Rô consegue ser visceral e verdadeira, não pede licença para o leitor e, em pouco tempo, nos torna reféns de seu universo sombrio.” 
 
— Kim Myers —
 
 
Tá bom ou quer mais?
 
Conhecendo a Rô e a DarkSide, além do ótimo conteúdo teremos uma maravilhosa edição para ficar lindona na estante!

6 comentários:

  1. O enredo é bem realista, me lembrou um filme que assisti outro dia. Quantas Lauras existem por esse mundo afora! Vou pesquisar as obras da autora no Wattpad. A forma dela escrever me deixou bem curiosa (no seu mundo não há espaço para fantasia).

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Que notícia boa! Não sabia que temos uma autora nacional pela Darkside, fiquei muito feliz com isso. Quanto ao livro parece um ótimo enredo e já vou anotar está super dica. Ah, já ia esquecendo, parabéns pela entrevista.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu conheço a autora mas nunca li nada dela. Fiquei curiosa para ler o novo livro, é um gênero que eu gosto muito e a premissa dele é instigante.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a entrevista e desejo sucesso a escritora, adoro os livros publicados pela darkside.
    Art of life and books.

    ResponderExcluir
  5. Ahh que bacana!!
    A Rô é uma fofa querida! E a Dark Side uma das melhores editoras, eles tem um trabalho fantástico.
    Adorei.
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?

    Só conheço a autora de falar por aí, mas nunca me interessei em procurar os livros dela. Que baita notícia essa, viu! Fico muito feliz! Gosto muito de ler artigos e histórias sobre os assuntos abordados nesse livro, mas não sei se teria emocional para lê-lo. Ainda assim, torço muito e acho muito necessário que essa narrativa alcance o mundo inteiro, porque é algo atual e para o qual a sociedade tem fechado os olhos. Afinal, a dor de mulher nunca é uma dor "verdadeira" ou "válida", né? Parabéns a ela, novamente!!!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir