14/10/2016

Resenha: A Canção de Alanna - A Primeira Grande Aventura

Título: A Canção de Alanna - A primeira grande aventura
Autor: Tamora Pierce
Editora: Única
Páginas: 256
Onde comprar: Saraiva
Sinopse: A coisa que Alanna mais quer no mundo é ser uma guerreira extraordinária, que vença batalhas e consiga ajudar as pessoas. Ela só tem um problema: no reino de Tortall, meninas não lutam, ou melhor, não fazem quase nada. Então, para realizar seu sonho, ela deve arriscar a própria vida tornando-se Alan de Trebond. Esta é sua primeira aventura, e pode ser a última caso ela não seja forte o bastante para superar as próprias limitações e controlar sua magia, que é mais poderosa do que a maioria das pessoas pode suportar. Para piorar, Alanna é a única capaz de combater o mal que se abateu sobre o reino de Tortall. Está em suas mãos salvar o herdeiro do trono e derrotar os seres milenares que habitam a terrível e amaldiçoada Cidade Negra. O fracasso não é uma opção. Sua grande batalha já começou. Ela pode morrer, ou pior: perder a própria alma para sempre! “Ela estava apavorada: seu rosto parecia quente, as mãos tremiam. Se fracassasse, teria de deixar a corte. Aquele era o dia. Ela nunca se sentira tão forte e tão preparada.” Argumentos de venda: Esse é o primeiro livro da série A canção de Alanna, obra que fala com o mesmo público de séries como Harry Potter. Tamora Pierce recebeu em 2013 um prêmio da American Library Association, que anualmente reconhece um escritor por “uma contribuição significante e duradoura à literatura infantojuvenil”. Obra best-seller do New York Times na categoria séries infantis.




A Canção de Alanna é um livro infanto-juvenil que eu, sinceramente, recomendo para a população adulta também. Tamora Pierce trabalha temas ligados ao feminismo e equalidade de forma simples - para os pequenos entenderem - e interessante - para os maiores curtirem.

Desde que vi a capa e a sinopse desse lançamento da Editora Única eu fiquei com vontadinha de ler só por já notar que teria magia e uma protagonista feminina. Quem me acompanha sabe que tenho problemas protagonistas e especialmente meninas, mas não é o caso da Alanna. Ela é uma garota que, apesar de jovem, é decidida e obstinada. Ela não quer ser treinada para ser dona de casa. Seu irmão gêmeo, Thom, não quer ser um cavaleiro. Então, no dia em que seria mandados para seus respectivos locais de treino, eles  trocam de lugar para realizar seus desejos. Ah, o Tom quer ser feiticeiro :D Já curti ele.

No palácio em que acontece o treinamento, Alanna faz vários amigos e alguns são da realeza. É bem legal a forma com a qual a autora trabalha a importância disso para cada um e para a narrativa. Esses personagens co-adjuvantes (me recuso a chamar de secundários) são tão profundos quanto se poder esperar de personagens de literatura juvenil. São interessantes e acrescentam à trama.


A trama parece bem simples, né? Mas tem várias nuances. Tem a relação estranha dos gêmeos com o pai (a mãe faleceu no parto deles), tem as dificuldades da Alanna em esconder seu segredo, a evolução da garota, o desenvolvimento das relações... é uma historinha gostosa de ler.

Por ser um livro introdutório ele fica meio arrastado, mas DO NADA fica rapidão. Creio que a autora correu para chegar a um ponto na história em que ela já pudesse discorrer sobre eventos futuros e importantes para a sequência. Infelizmente isso acabou dando a sensação de que não conhecemos bem a protagonista.



Eu tenho algumas críticas sobre a estrutura da narrativa e a escolha de como chegar a alguns acontecimentos, mas uma vez que se trata de um livro mais leve e infantil, eu entendo porquê a autora fez como fez. Tipo, foi tudo um tantinho quanto fácil para a Alanna se destacar, sabe? Tem uns furos nisso aí. De qualquer modo, ficou bem escrito e deixa tudo bem facinho e rápido para ler.

Sobre a edição: adorei a capa. Ficou juvenil e chamativa, mas prefiro a dos USA. Acho que chamaria mais a população de 16-20 anos. A diagramação tá simples e combina. Não achei erros de revisão. No geral, uma ótima edição.

 Resumindo: como o nome da série já diz A Canção da Alanna é um livro de aventura e descoberta, feito para agradar e entreter, com estrutura fácil e leve. Deixou-me com vontade de ler a continuação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário