15/11/2016

50 Tons de Cinza: Onde está errado?


Oi, galera!

Sempre pensei em fazer um texto falando sobre tudo que achei bizarro em 50 Tons de Cinza. Venhamos e convenhamos... o quê NÃO ESTÁ errado ali, né? Mas enfim. O texto de uma amiga minha, a Gina do @giibooks, fez um texto maravilhoso com o qual eu concordo plenamente. Decidi compartilhá-lo aqui já que partilho da mesma opinião. 

Obs: A intenção é gerar uma discussão saudável e não fazer um ataque gratuito ao livro/fãs.


Porque comecei a ler: estava conversando com uma amiga sobre fanfics - eu lia muitas fics alguns anos atrás -, quando ela me disse de uma que tinha virado livro. Sabendo de meu gosto literário, ela me disse para não comprar o livro porque sabia que eu não ia gostar e ia me arrepender. Então, acabei baixando a cópia digital. 



Primeiras impressões: Comecei a ler o livro e, logo no início, notei uma grande semelhança com os personagens de Crepúsculo. Eu sabia que o livro tinha sido baseado numa fic, só não sabia que era de Crepúsculo (saga que eu nem gosto). Apesar de estar incomodada com tamanha semelhança (para não dizer cópia), até mesmo a personalidade dos personagens era a mesma, o que mais me deixou chocada além das cenas super mal escritas de sexo foi a escrita grotesca da autora. Num livro caracterizado como "erótico" você não esperaria cair na risada, né? Pois foi isso o que aconteceu. Quando eu não estava enojada pelo Christian Grey/Edward eu estava me acabando de rir das besteiras escritas e faladas pelos personagens. A tal da "Deusa Interior" foi a coisa mais idiota que eu já li. E falando em personagens, vou detalhar minhas impressões dos dois principais abaixo:

1 - Anastasia Steele/Isabella (Bella) Swan: jovem mulher de 21 anos de idade, terminando a faculdade de Literatura e que, por incrível que pareça, era virgem e nunca "clicou o próprio 'mouse'" (ah, vá!¬¬). Ela substituí a amiga e companheira de quarto (Katherine) quando a mesma fica doente e não pode ir à entrevista previamente marcada (para o jornal da faculdade) com o milionário Christian Grey. Ela é tão sem graça e desengonçada como a Bella Swan, obviamente porque ela É a Bella. Assim como a Bella, ela parece não ser capaz de dar dois passos sem tropeçar e, cai (literalmente) de cara no chão da sala de Christian Grey. 


2 - Christian Grey/Edward Cullen: um empresário beirando os 30 anos, mas com a mentalidade e comportamento de um adolescente de uns 15, é daquele tipo que não aceita um NÃO como resposta. Para ele "nãos" podem ser transformados facilmente num "sim", se você deixar de lado o respeito e consideração pelos "nãos" da sua parceira e for bastante persistente. Ele é descrito como lindo, gostoso, milionário e super dotado: é o "pica das galáxias". Possessivo, controlador, perseguidor e um péssimo dominante/namorado é como eu o descreveria. 

Algumas das muitas partes do livro que eu não entendo:

>Christian é um perseguidor nato. Mas, assim como a Bella quando descobre que Edward estava olhando ela dormir há semanas, Ana fica LISONJEADA de estar sendo perseguida por um homem tão "atraente". Se ele não fosse bonito, com certeza teria sido preso. ¬¬
>Possessão: o fato de que ela queira ficar com você não te dorna o dono dela, Sr. Grey. #ficaadica
>CG sabe que Anastasia não sabe beber e é vulnerável a até mesmo pequenas quantidades de álcool. O que ele faz? Vai à casa dela com álcool e com o acordo/contrato, faz ela beber e ficar mais fácil de ser persuadida por ele e suas demandas.
>Como é que um homem feito diz a você que ele "gosta de foder e espancar mulheres morenas porque elas lembram a mãe morta e prostituta" dele é romântico e sexy? CORRAM RÁPIDO E PARA LONGE. FUJAM PARA AS COLINAS! Se tem uma coisa que NÃO É SEXY é COMPLEXO DE ÉDIPO! Esse é o tipo de homem que vocês devem evitar e não se apaixonar. Só porque a personagem teve um "final feliz", não significa que você também vai ter.
>A primeira vez que Ana faz sexo oral em CG (quando eles estão na banheira) ela se torna a Rainha da Garganta Profunda! Sério! Na primeira vez! Tá de brinks, né, EL James?!
>E falando na primeira vez: quando eles fazem sexo, mesmo CG sabendo que ela é virgem, o que ele faz? É compreensivo? Atencioso? Paciente? Delicado? Claro que não, afinal de contas estamos falando de Christian Grey. Ele vai com tudo e foda-se se ela sentir dor ou chorar. Ele não liga nem para o estado físico ou emocional dela, mesmo sabendo o quão importante aquele momento era para ela. Super romântico, né? Essa cena me fez lembrar do livro Midnight Sun/Sol da Meia-Noite escrito por Stephanie Meyer, mas que não foi publicado porque vazaram ele na internet e ela ficou chateada. No livro ela conta, em detalhes, como foi a primeira vez de Bella e Edward e, advinha só, foi igual à de Anastasia e CG. Coincidência? Eu acho que não!
>Por que contiunuar se referindo à vagina dela como "down there"/"lá embaixo"? Tem muitas outras palavras, melhores palavras que essa que poderiam ser usadas.
>O que foi aquela cena deles no banheiro, na qual CG puxa o absorvente interno dela? ECAAA! Uma coisa é intimidade, mas isso já é passar dos limites! PQP!
>Só porque tem beijos, sexo e "eu te amo", não quer dizer que seja romântico e uma história de amor.
>Se você está procurando um cara como o CG, o que eu não recomendo, não se esqueça de que só porque a Anastasia teve um "final feliz" com o agressor dela, não significa que você também terá com o seu. 



BSDM: não tenho nada contra adultos responsáveis praticando sado-masoquismo. O problema é quando a autora, que não entende nada do assunto, distorce o estilo de vida para fazê-lo se encaixar na história e na mente distorcida de CG. Mesmo em relações de BSDM, se uma das partes praticantes fala "NÃO" OU "PÁRE", e a outra parte ignorar isso e continuar, É ESTUPRO, SIM! Lembrando que CG é um dominante tão ruim que deixa uma de suas ex-submissas se machucar. Muitos praticantes já criticaram duramente a autora pelo jeito que ela retratou o BSDM. Para os que ainda insistem em simplesmente engolir a palavra de EL James, sugiro que procurem outras fontes muito mais confiáveis, principalmente os que praticam e escutem/leiam o que eles têm a dizer! 


Estupro: muitos dos fãs da trilogia defendem que não há estupro nos livros. Então, vamos examinar o trecho a seguir:
“No,” I protest, trying to kick him off.
He stops.
“If you struggle, I’ll tie your feet too. If you make a noise, Anastasia, I will gag you. Keep quiet. Katherine is probably outside listening right now.”
"Não," eu protesto tentando afastá-lo.
Ele pára.
"Se você se debater eu vou amarrar seus pés também. Se você fizer barulho, Anastasia, eu vou te amordarçar. Fique quieta/calada. Katherine está lá fora agora provavelmente ouvindo." Eu sei, e entendo, a necessidade de defender algo/alguém que gostamos. Mas é preciso ter senso crítico nessas horas. Não significa não. O fato de que CG ameaçou conter Anastasia ainda mais (ela estava amarrada no dorsel da cama pelos braços) para ter o que queria, é chamado de coerção (ato de induzir, pressionar ou compelir alguém a fazer algo pela força, intimidação ou ameaça) e é sim estupro. "Ah, ele é um dominante. É assim que eles agem". O fato dele ser um dominante não deveria NUNCA ser mais importante de que naquele momento ela disse não!

Não é não! "A primeira vez que eu disser não, vai ser como se eu nunca tivesse dito sim." Esse é um trecho de uma música da Beyoncé chamada "Yes".


Fãs: a maioria das coisas que eu ouvi de fãs da trilogia é que:
1 - "Você leu o livro antes de criticar?"
Sim, eu li os 3. Eu achei que não podia piorar, mas eu estava errada. Muito errada!
Muitas, milhões de pessoas leram e a verdade é essa: a maioria não gostou. Porque simplesmente quando alguém critica a trilogia, a primeira defesa dos fãs é achar que as pessoas estão falando só por falar. Claro que tem gente que é assim. Mas acredito que a maioria leu, não gostou e está criticando os livros. Aceitem!


2 - "É o best seller de maior sucesso da atualidade."
Sim, é verdade! Mas desde quando quantidade é a mesma coisa de qualidade? A venda dos livros foi impulsionada pela curiosidade, mas foram duramente criticados. A maioria das críticas foram negativas. A trilogia tem muitos fãs? Sim, mas a maioria simplesmente não gosta e não tem respeito pelos livros.


3 - Não é estupro, não é abuso! É um romance, uma história de amor.

Vamos concordar em discordar. Veemente. Tem sim muito abuso na história. Cena de estupro tem pelo menos uma. E repito: só porque tem beijo, sexo e um "eu te amo" não quer dizer que é uma história romântica. CG é controlador, possessivo, perseguidor e todas essas características numa pessoa só, nunca é bom sinal! Sem falar do Complexo de Édipo latente. Ewww, que nojo!


4 - É só um livro!
É um livro que levanta assuntos importantes como abuso físico e psicológico e misoginia. Não é um relacionamento saudável, assim como a relação de Bella e Edward também não era. O fato de um personagem como CG ser concebido como um romântico é assustador. Repito: sejam fãs, mas sejam críticos. Saibam separar até onde e o que é aceitável. O jeito que CG tratava Ana não é nem perto disso. O que me preocupa é que têm muitas adolescentes (e adultos também) fantasiando e desejando um CG. Por isso o aviso, não só meu como também de muitos outros blogs e críticos: essa não é uma história de amor e Christian Grey está longe de ser um herói romântico!


5 - "Enquanto você fala mal, a EL James está rindo a caminho do banco."
Sim, ela está. É inegável que essa trilogia a fez milionária e famosa. Mas o mais importante, ela não tem: o RESPEITO DA MAIORIA das pessoas pelo trabalho/obra que a fez famosa, em primeiro lugar. Principalmente, porque ela ficou rica e famosa copiando a história/criação de outra pessoa (Stephanie Meyer). Não gosto da Saga Crepúsculo mas tenho respeito pela autora: ela foi criativa e original. E por causa do plágio e da escrita horrível, não tenho nenhum respeito por essa trilogia e nem por quem a escreveu!

Sobre a autora EL James:
Ela escreveu uma fanfic de Crepúsculo (história e personagens criados por Stephanie Meyer). Até aí, tudo bem. Milhares escrevem fics, que são na verdade uma MANIPULAÇÃO do mundo, história e/ou personagens criados por outras pessoas. O fato de que EL James resolveu transformar uma fanfic em um livro, apenas mudando os nomes dos personagens para não ser processada, e escrevendo horrivelmente cenas de sexo e distorcendo uma prática/ estilo de vida que, obviamente, ela não entende, É PLÁGIO. Eu nem gosto da Saga Crepúsculo, mas tenho muito respeito pela Stephanie Meyer e suas obras, coisa que não tenho pela EL James e as "fanfics" impressas dela.


Conclusão: após de ler a trilogia, acho que deveria se chamar 50 Tons de Misoginia.


Concorda ? Discorda? Deixe sua opinião nos comentários!

13 comentários:

  1. Oi Grazi, tudo bem?
    Já li toda a trilogia 50 Tons, acima como toda a Saga Crepúsculo e concordo que ambas não são histórias exemplares de relacionamento, mas devo dizer que ambas também tem seus pontos positivos, ao menos pra mim. No caso de 50 Tons especificamente creio que tenha sido uma trilogia que possibilitou o boom de literatura erótica que permanece até hoje. Veio muita literatura ruim nessa leva mas também muitos livros bons que possibilitaram a descoberta de bons autores e autoras. Quanto à história dos livros em si eu concordo com muitos pontos que você citou, principalmente em relação aos protagonistas e as questões abordadas ao longo da trama mas também sei que há muitas pessoas que não concordam e veem todos os acontecimentos de maneira diferente...e quem sou eu pra falar que a visão deles é errada? Creio que por ser o centro desse boom da literatura erótica a trilogia tenha sido escolhida como alvo das críticas, mas se formos analisar com certeza deve haver algum livro que se iguale ou supere nos mesmos termos.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo totalmente sua opinião! Eu também diria que vieram autores bons, mas infelizmente eles são 2% de toda a cota. Eu já vi coisas absurdas e em grande número. As pessoas não conseguem mais identificar o que é saudável como erótico :/

      Excluir
  2. Oi Grazi, tudo bem? Nossa você não gosta mesmo da serie hein? 50 tons não são meus livros favoritos, concordo que a escrita da autora deixa muito a desejar, mas para mim o pior é a submissão da personagem que chega a ser doentio. Não curto um faça comigo o que quiser que eu to de boa. Sobre Crepúsculo eu gosto sim, não dos filmes, mas os livros pelo menos o primeiro eu curti muito a leitura. Enfim gosto não se discute, mas achei legal a discussão. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu sou bem suspeita para falar, pois li o primeiro volume de 50 tons e detestei, nem li o resto. Achei pobre do ponto de vista literário, e o erótico, que é usado de forma apelativa, para compensar o que falta em literariedade, também fica a desejar, já vi coisas melhores do gênero. Da saga Crepúsculo eu não li nada, apenas vi os filmes, e confesso que não morri de amores, embora já tenham me dito que os livros são bem melhores que os filmes. Talvez eu leia um dia para tirar as minhas próprias conclusões. Achei bacana você ter trazido a discussão à tona.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto da trilogia, mas concordo com muita coisa apontada nessa postagem. Eu não li Crepúsculo e não me interesso em ler, não curto, acho muito infantil. A trilogia 50 tons, não é bem tudo isso que o povo fala mas tem lá seus bons momentos, pequenos, mas tem. Eu sou fã, principalmente do Grey, mas sei que para o tema, o livro é extremamente fraco e existem outros muito melhores, esse passa um ar de amador. Mas ainda assim eu gosto.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu li apenas o primeiro e até resenhei. Sinceramente gostei tanto que não li o 2 e 3 volumes. Para mim nada faz sentido no livro a inocência de Anastasia não combina com ações. A autora não se decidiu que tipo de história ela queria escrever eu fiquei decepcionada embora eu tenha 47 anos e muitas leituras não tinha lido nada erótico então imagine como fiquei frustrada rs
    Mas agradou muita gente, tenho uma vizinha que nunca tinha pego em um livro, leu a trilogia em pouquíssimos dias e viciou pois depois a vi com um da Sylvia Day, nada contra de repente esses livros abrirão portas para outros mais densos. (espero)
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu li os três livros também, mas por pura curiosidade. Queria entender onde estava a maravilha que as pessoas diziam, e não consegui encontrar.
    Pelo contrário, vi um protagonista chato, machista, autoritário, perseguidor, com problemas psicológicos, etc, etc. Uma protagonista inocente demais, insegura demais, submissa demais e vítima em diversas circunstâncias.

    A história, se é que realmente existe, é muito fraca, mal explorada e mal escrita. A maior parte do livro gira em torno de sexo e não de uma trama em si.

    Acredito até que o livro fez sucesso por quebrou um tabu, já que eu o vejo como "filme pornô adaptado para livros". Mulheres não costumam admitir que assistem filmes pornôs, mas tudo bem se lerem um livro sem conteúdo que representa o pornô.

    Tentei assistir à adaptação do livro para o cinema, vi 10 minutos e não consegui continuar.

    ResponderExcluir
  7. Bom, li apenas o primeiro livro e assisti ao filme. O resto da história soube por colegas que leram. Até o momento não tive vontade de continuar a leitura. Concordo com muitos apontamentos da postagem, mas também vejo alguns pontos positivos. Sendo o principal deles, a entrada da literatura erótica nas livrarias.

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Comecei a ler a trilogia pela curiosidade mesmo e por gostar de hot (50 tons não foi meu primeiro hot, eu já lia o gênero), mas não foi tudo isso que falavam. As cenas de sexo não foram tudo isso é apesar de ser bem leiga no assunto, não senti veracidade nas cenas de dominação. Gostei mais da trilogia no quesito psicológico dos personagens, principalmente do CG e seus problemas. Eu queria apenas a conta bancária dele para mim 😉
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. OOi Grazi!
    Bom, não sei bem o que dizer. kkkk Concordo com muita coisa que disse, inclusive também ri bastante, acho a Ana uma tchonga com esse "Deusa Interior", o Christian às vezes é mesmo muitoooo possessivo etc. Contudo, gosto da série! Confesso que nem tenho argumentos, mas eu meio que peguei mais a "parte boa" da história, principalmente nos livros seguintes, nos quais, ao meu ver, há mais amor.
    Discordo com algumas coisas, mas ainda assim, parabéns pelo post, suas opiniões estão bem claras!

    ResponderExcluir
  10. Olá! As vezes não entendo porque tanta polêmica. É simplesmente uma história, e sempre haverá quem goste e quem não goste. Muito bom seu post colocando seu ponto de vista. super bjoooooooo

    ResponderExcluir
  11. Olá, eu li somente os dois primeiros livros e foi uma leitura divertida, dei boas risadas, nada demais. Li mais por curiosidade, por tantos amarem e outros odiarem. Mas o que percebo é que vários New Adult tem a mesma premissa e são amados, e 50 tons sempre é o mais massacrado. Confesso que vejo várias coisas ruins na maioria dos romances NA, o carinha possessivo, que é um idiota, mas aí a autora coloca uma tragédia no final para justificar toda a babaquice e isso não me convence. Mas enfim, gosto é gosto. Minha irmã curte, tanto que amou Belo Desastre. Haha, estou até atrás dos outros volumes para ela.:) Boas leituras.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Não li este livro e nem tenho vontade de ler,mas obg gostei bastante do post.
    um abraço.

    ResponderExcluir