31/01/2017

Resenha: Pedra no Céu - Isaac Asimov



Título:
Pedra no Céu (Pebble in the sky)
Autor: Isaac Asimov
Editora: Aleph
Páginas: 312
Onde comprar: Saraiva
Sinopse: Qualquer planeta é a Terra para aqueles que nele vivem. O alfaiate aposentado Joseph Schwartz desfrutava de uma pacífica caminhada de verão quando, devido a um acidente em um laboratório na mesma cidade, foi involuntariamente transportado milhares de anos para o futuro. Chega então a uma Terra marginal e abandonada, cuja superfície é quase toda inabitável, e que fica às margens de um grandioso Império. Publicado pela primeira vez em 1950, “Pedra no Céu” foi o romance de estreia de Isaac Asimov e é um marco do que se tornaria o Império de sua mais famosa obra, Fundação. Complemento fundamental às outras histórias do autor, este romance também serve como porta de entrada para apresentar o leitor ao universo de Asimov.


Contexto: Esse livro foi o primeiro romance escrito pelo Isaac Asimov e permeia a época da Guerra Fria. 

Assim como nas outras histórias consagradas do Asimov, em Pedra no Céu ele não demora muito a chegar na cena que dá o twist da história. Joseph Schwartz, inadvertidamente, passa por um local onde havia acontecido algum tipo de distorção no tempo e espaço e com apenas um passo é transportado anos no futuro, chegando à época do Império Galáctico (que é utilizado na saga da Fundação) onde a Terra está radioativa e desacreditada. Obviamente, como acontece com toda civilização, tudo está diferente, especialmente a cultura da Terra. Existe um Costume, em especial, que obriga os cidadãos com mais de 60 anos a realizar eutanásia (para dar lugar aos jovens fortes e trabalhadores), evitando que utilizar os - agora - escassos recursos do planeta com pessoas que não produzem. Claro que haverá pessoas na história que querem quebrar esse costume. Voltando ao Joseph... ele encontra-se então em tempo diferente, sem falar a mesma língua que sua própria espécie e sem entender absolutamente nada de como as coisas funcionam. Ele acaba sendo acolhido por um casal e aí começamos a conhecer as tramas. 



Assim como em outras obras, Asimov não constrói um enredo linear nem escolhe um protagonista máximo: o livro é dividido entre diversas tramas que acontecem separada e simultaneamente e que acabarão encontrando-se de alguma forma para fechar o arco dramático e misterioso que ele vai talhando com cada diálogo tenso. 

Eu contextualizei-os sobre a época em que o livro foi escrito porque é nítida a atmosfera de paranoia criada pelo Asimov para demonstrar como viviam as pessoas desse tempo. As informações que vinham pela metade, o medo de todos em qualquer lado do impasse - que no caso é Terráqueos vs. Imperialistas. Em Pedra no céu os terráqueos são os excluídos da sociedade da galáxia, relegados a aceitarem que seu planeta foi estragado por uma guerra nuclear e não tem nenhuma importância real ao Império. Os habitantes da Terra são tratados como párias pelo medos dos Imperiais de contraírem doenças causadas pela exposição à radiação (aqui esta é um tanto subestimada uma vez que seus efeitos não era bem conhecidos; os terráqueos não são deformados, nem morreram aos montes por causa dela).



Há uma trama bastante bem utilizada e fácil de identificar a que se refere: há grupos que defendem que a Terra é o planeta de origem do Império (sendo esta uma teoria ridicularizada) e a grande maioria achar que o Império começou em diversos planetas e tornou-se a potência que é com a junção deles. A primeira teoria é defendida por um cientista importante e é veementemente negada e ridicularizada por teóricos religiosos. E aí, lembrou da teoria da evolução de Darwin?

A partir de um certo momento a trama começa a engregar com discussões e ideias inerentes à ficção científica: a política, psicologia e sociologia. Asimov, já em seu livro de estreia, trabalha muito bem conceitos sobre a sociedade e dá o pontapé para seus próximos trabalhos. 

Pedra no Céu, sem surpresa para mim, é um livro inteligente, tenso, complexo em sua simplicidade (o que quer dizer que não é difícil de entender, mesmo com todos os conceitos apresentados) e original. É um livro curto no qual - devido à sagacidade do autor - acontecem muitas coisas. Depois de ''O Fim da Eternidade'' é o melhor livro para iniciar-se no mundo da ficção científica. 




15 comentários:

  1. Acho que eu ia me confundir um pouco com a leitura, apesar da bora parecer-me muito boa, me perco com narrativas onde é explorada muita coisa :(
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem iria, flor. O enredo tem muita coisa, mas cada uma acontece em um núcleo diferente. É super simples ^^

      Excluir
  2. Acho que você é muito fã do autor, certo?
    Concordo com a Helana, parece ser um livro um tanto confuso. Apesar de eu amar distopias, não acho que eu gostaria do livro pelo enredo meio Ficção cientifica dele. Poucos livros deste gênero me agradam de verdade. =)

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  3. Oi Grazi, não li nada do autor ainda, apesar de conhecer seu trabalho. Pelo que li, o autor ambientou bem seu enredo, passando de forma clara a realidade vivida na época. Que bom.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Grazi, tudo bem?
    Não lembro de ter lido alguma obra do autor e confesso que não fiquei atraída pelo enredo. Pra mim ficção científica só em filmes. Certamente esse livro fará sucesso entre os fãs do gênero.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Eu já havia visto esse livro e já estava curiosa com ele eu gostei bastante da sua resenha e me interessei ainda mais pela leitura, só acho que posso ficar confusa em algum momento kkk

    ResponderExcluir
  6. confesso que esse tipo de obra não é meu estilo. mas ao ler sua resenha só fiquei curiosa para saber como Joseph conseguiu se virar em um planeta sozinho, tão diferente e milhares de anos a frente de seu tempo... Nunca li nada do autor, mas seus livros parecem inteligentes e cativantes. vou me arriscar
    espero que eu goste tanto quanto você!
    beijos, isa

    ResponderExcluir
  7. Oiii Grazi, tudo bem?
    Eu nunca li nenhum livro do Isaac e confesso que me vi apaixonada pela pedra do céu, parece ser aqueles livros de ficção envolvente e inteligente ao ponto de nos fazer pensar sobre o assunto, dica anotada.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Não conhecia o autor e nem suas obras. Achei bacana os livros e a sinopse de Pedra no céu parece ter um enredo bastante interessante.
    Adorei o post
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Oi!

    Achei essa ficção cientifica (pode ser colocado nesse gênero?) muito legal e nova. Não é sempre que vemos enredos girando em torno do planeta terra e com tantos inquietações e reflexões sobre o estilo de vida. Enfim, não sei leria agora, mas me senti atraída. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro do autor! Ainda não li nada do Isaac e pela sua resenha ele apresenta uma narrativa que iria conseguir acompanhar com facilidade, até porquê eu sempre fico mais ansiosa para saber o que esta acontecendo quando o autor explora bastante a história e pelo visto isso ocorre muito bem aqui. Fiquei curiosa e acho que é um ótimo livro para conhecer a escrita do Isaac!

    Beijos Grazi e até logo! :*

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Acho a capa do livro bem legal, mas não o leria por não gostar de ficção científica (nem entendi a maioria das vezes que tentei ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá! Eu ainda não conhecia esse livro mas sua resenha me despertou interesse.
    Parece que a temática é boa e envolve o leitor. Uma leitura que vale a pena.
    super bjoo

    ResponderExcluir
  13. sou muito a fim de ler esse titulo dele, só tive chance de conhecer sua escrita por causa de Eu, robô, que tô lendo...
    adorei a contextualização que vc deu na resenha... pela trama sinto que vou apreciar bem a leitura...
    bjs...

    ResponderExcluir
  14. Olá, nunca li nada do autor, gostei da resenha, mas confesso que não curto muito o gênero, mesmo assim vou anotar a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir