12/02/2017

Filmes: Passageiros


Título Original: Passengers
Diretor: Mortem Tyldum
Elenco: Jennifer Lawrence, Chris Pratt, Michael Sheen
Duração: 117min

Sinopse

Durante uma viagem de rotina no espaço, dois passageiros são despertados 90 anos antes do tempo programado, por causa de um mal funcionamento de suas cabines. Sozinhos, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) começam a estreitar o seu relacionamento. Entretanto, a paz é ameaçada quando eles descobrem que a nave está correndo um sério risco e que eles são os únicos capazes de salvar os mais de cinco mil colegas em sono profundo.



Para início de conversa, Passageiros é um filme que não decidiu em qual gênero se encaixaria, mas de alguma forma tudo conseguiu dar em um super combo que funcionou. A crise de identidade se dá por ter drama, mas também comédia. Tem ficção científica, mas o enredo é simples Tem suspense, mas resolve tudo muito rápido. Na real, o filme é um romance que utilizou de todos os elementos que podia alcançar para tornar interessante uma história feita por um elenco de duas pessoas (e esporádicas três).

Eu geralmente desconfio de filmes que utilizam nomes grandes como protagonistas máximos. Quase sempre é sinal de roteiro fraco/filme chato.  Porém Passageiros, assim como Sr e Sra Smith, foi uma exceção.




A premissa do filme é legal, o trailer instiga e o início do longa já desvenda o maior mistério que esse nos jogou: por que Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) acordaram. Dá aquela sensação de ''e ainda tem o que rolar?''. Respondo: tem. Teve gente que reclamou porque as motivações dos personagens saírem da Terra são mal explicadas e outras coisas referentes ao povo da Terra e tecnologias. Bom, essas pessoas não entenderem o filme. É bastante claro desde o início que Passageiros irá trabalhar apenas o relacionamento e a psicologia dos protagonistas (de forma sucinta). Todo o resto é apenas o plano de fundo que criaram para isso. E este é muito legal. 

As cenas sci-fi são grandiosas, bonitas e dão tempo em cena para que os protagonistas tenham o relacionamento que não conseguiriam de outra forma. Creio que as questão central foi trabalhada de forma rápida, com uma resolução fácil que partiu da necessidade de sobrevivência. Foi meu único problemas com o enredo. Quando você assistir, vai entender.


Jenn está aqui em uma ótima atuação (considero inclusive melhor do que a O Lado Bom da Vida, pelo qual ela recebeu um Oscar), mas por algum motivo Chris não conseguiu trabalhar todo o potencial do seu personagem. De qualquer forma, acabaram fazendo uma dupla com relativa química e o casal deu certo.

A fotografia é linda, combinando perfeitamente com os efeitos visuais (os quais caracterizam o casal, de certa forma). A nave é interessante e bem pensada, Os figurinos são comuns. No geral, todo o ambiente acertou em dar a sensação de prisão na qual os dois se encontram e a fotografia vai mudando ao longo da mudança do humor dos personagens. E essa mudança é sutil, até não ser mais xD

O filme é, então, uma história de amor permeada pela dúvida e egoísmo. É um romance que jamais aconteceria em circunstâncias normais e a conclusão dele - apesar de não resolver satisfatoriamente o conflito iniciado pelo casal - nos dá aquele tom de ''o amor supera tudo''.




Um comentário:

  1. Oii Grazi

    Apesar de muita gente estar falando desse filme, é o tipo de história que ultimamente não me chama muito a atenção. Por enquanto deixarei passar.

    Beijokas

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir