07/03/2017

Entrevista com o autor de Sacanas do Asfalto - Robson Gundim

Robson Gundim é escritor, ilustrador e estudante de cinema, autor de 4 livros publicados nos anos de 2011 à 2016, entre eles se encontra Sacanas do Asfalto que foi lançado ano passado pela editora PenDragon. Sacanas do Asfalto é uma homenagem a Quentin Tarantino, famoso diretor americano que é conhecido pelos seus filmes de extrema violência gráfica, personagens carismáticos e seus diálogos cheios de ironia negra. 

E é sobre Sacanas do Asfalto que iremos falar agora nessa entrevista com o autor Robson Gundim, confiram!




O que os leitores precisam saber antes de se aventurarem na leitura de Sacanas do Asfalto?

Robson: Sacanas do Asfalto é um livro de aventura que foge completamente do convencional. Por si só, o livro explicita o fato de carregar uma enorme influência do Quentin Tarantino, que como sabemos, é bastante conhecido por seus diálogos rápidos, tramas não lineares, violência gráfica, mulheres fortes e muitas reviravoltas. Por trás da trama, existe uma crítica social no que diz respeito a alguns problemas que infelizmente vivemos todos os dias... O livro também é uma forte homenagem ao cinema (principalmente ao cinema exploitation dos anos 70), que em sua maioria, lidava com tramas propositalmente exageradas e apelativas, com muita ação, humor negro, tiros e perseguições implacáveis. Ou seja, quem deseja ler o livro, precisa ter em mente que todos esses fatores estarão presentes nas páginas. 

Fale um pouco sobre a influência do diretor Quentin Tarantino na construção de Sacanas do Asfalto. Quando a ideia surgiu para você? 

Robson: Eu passei a seguir fielmente o Tarantino no ano de 2004, com o lançamento do filme Kill Bill. A partir desta data, eu passei a alimentar a ideia de escrever um livro ou um roteiro para quadrinhos (uma vez que desenhava) que fosse “a cara” do diretor, e nunca abandonei esse sonho. Cresci lendo e assistindo as obras desse artista maravilhoso, e devo dizer que seus roteiros extremamente bem escritos agiram como um condão na minha vida literária. Juntamente com Marcos Rey, Fernando Sabino e Agatha Christie, o Tarantino iluminou o meu processo criativo. A ideia de tentar retratar o seu estilo em um livro vai além de qualquer homenagem. Digamos que você cai em uma teia imensa de informações interessantes, ligadas ao diretor, pois é justamente isso que o Tarantino faz em suas obras; ele presta tributo a livros e filmes que o inspiraram no passado, quando ainda trabalhava em uma vídeo locadora, em Manhattan Beach. Sacanas do Asfalto reúne a principal marca tarantinesca, que é o exagero proposital, a violência gráfica, os diálogos à lá vonté e o escape do comum, ainda que algumas situações sejam um recorte da realidade, como um assalto em uma padaria, ou uma troca de tiros na esquina de um bairro hostil... Para que todos os leitores possam compreender de uma forma mais profunda, eu escrevi uma postagem especial, destacando as maiores referências do Sacanas do Asfalto e a grande raiz tarantinesca por trás das páginas. Para acessar, basta clicarem no LINK.


Algo que eu percebi lendo Sacanas do Asfalto foi a peculiaridade de seus personagens, não é comum ver pessoas com uma katana no carro. Foi divertido criar personagens que parecem estar tão fora da realidade? 

Robson: Foi tão divertido quanto assistir uma mulher sozinha retalhar 88 loucos com uma espada de samurai! (risos) O que eu considero mais fantástico nesse processo criativo, não é somente o fato de homenagear o Tarantino simplesmente nomeando suas obras ou tampouco a ele mesmo; muito além disso, eu prefiro brincar e ousar com as leis da gravidade, a verborragia dos personagens, a violência exagerada (sem ser gratuita, pois há um motivo para elas no livro), e aos subgêneros ao longo da trama, que ora tendem para o suspense, com pitadas de terror, e ora para ação, com toques de um thriller de vingança. Em resumo, sim: criar personagens com essas façanhas foi INCRIVELMENTE divertido! 

Sacanas do Asfalto tem diversas referências a livros, filmes, músicas... Existe algo que você leu/assistiu/escutou e gostou recentemente que você gostaria de compartilhar com os nossos leitores?

Robson: Eu estou em constante atividade, mesmo quando os dias são corridos. Ultimamente tenho lido e assistido bastante. Li e adorei “Horror na Colina de Darrington”, do Marcus Barcelos. Um livro de terror que foi escrito no melhor estilo Pulp, com uma narrativa quase cinematográfica. Assisti recentemente a um filme que há muito tempo me recomendaram, e confesso que me perguntei por qual motivo levei tantos anos para assisti-lo: “Léon: o profissional”, dirigido pelo grande Luc Besson (o mesmo diretor de Nikita), e estrelado pelas feras Jean Reno e Natalie Portman. Tenho escutado uma grande variedade de músicas, mas indicarei as trilhas sonoras do compositor Trevor Morris, que me conquistou através do seriado Vikings! São incrivelmente inspiradoras.



O que os leitores podem esperar de novo para 2017? Algum projeto em andamento? 

Robson: Tenho três trabalhos finalizados, apenas a espera de uma publicação oficial. Um faroeste nordestino com cangaceiros, cuja trama se passa no final da década de trinta; um survival horror, nos moldes de Lovecraft e Resident Evil, que nos contará o que aconteceu com o David e a Lívia (do livro “Enquanto Eles Não Vêm”); e uma aventura com ação, que retrata jovens brasileiros se aventurando em uma Hong Kong dominada pelo crime organizado. São muitas histórias, fantasias e possibilidades que estão descritas no papel. Lancei recentemente o suspense “Enquanto Eles Não Vêm”, e confesso que estou adorando a experiência de lançar livros pela plataforma Amazon. Da mesma forma, tem o drama “O Canto da Valquíria”, que é uma singela homenagem a cultura nordestina, e tem sido postado semanalmente no wattpad... Como você sabe, de 2012 até 2015, eu lancei a saga “Entre o Céu e o Mar”. Estou me preparando para relançar os livros isoladamente; ou seja, cada um poderá ser lido separadamente, independente de uma ordem cronológica. Não sei quando isso acontecerá, mas em 2017, se Deus quiser, teremos algum desses títulos aí no mercado!

Eu gostaria de agradecer ao Robson pela entrevista maravilhosa e para conferir a resenha que eu fiz de Sacanas do Asfalto é só clicar AQUI.


Nenhum comentário:

Postar um comentário