06/03/2017

Resenha: Os Sete


Título:
os Sete
Autor: André Vianco
Editora: Aleph
Páginas: 432
Livro cedido em parceria com a editora Aleph
Sinopse:Nobres homens de bem, jamais ouseis profanar este túmulo maldito. Aqui estão sepultados demônios viciados no mal e aqui devem permanecer eternamente. Que o Santo Deus e o Santo Papa vos protejam. Uma caravela portuguesa naufragada com mais de 500 anos é descoberta no litoral brasileiro. Dentro dela, uma estranha caixa de prata lacrada esconde um segredo. Apesar do aviso grafado, com a recomendação de não abri-la, a equipe de mergulhadores que a descobriu decide seguir em frente, e encontra sete cadáveres. Esses corpos misteriosos e cadavéricos são levados para estudos e tudo parece estar sob controle até o despertar do primeiro deles. Em Os Sete, André Vianco atualiza o mito dos Vampiros, apresentando ao leitor seres poderosos, cada um com uma característica única, mas todos com natureza monstruosa e sanguinária. O resultado é um livro envolvente, repleto de ação e reviravoltas, que em pouco tempo ocupou seu merecido lugar entre os mais importantes livros de terror e fantasia brasileiros.
Eu li Os Sete a primeira vez quando tinha cerca de 12, 13 anos de idade e me lembro de ter me apaixonado por esses vampiros portugueses. Ao longo dos anos tive bastante vontade de reler essa história mas com tantos livros na estante eu sempre acabei deixando de lado até surgir a oportunidade de ler com a parceria do blog e a Aleph. E gente, alguém sabe explicar porque releituras conseguem ser tão boas quando a obra é boa? haha Em alguns momentos parecia que eu estava lendo pela primeira vez, não sei se por eu ter lido há taaaantos anos atrás e agora ter uma mentalidade completamente diferente. Bom, vamos ao que interessa deixando de lado esse meu carinho pelo livro.


O que mais me encanta na história é que ele se passa no Brasil. Quer dizer, geralmente quando vemos história assim, ainda mais com vampiros, sempre se passam em cidades dos Estados Unidos ou em algum lugar na Europa, então ver algo tão... próximo da minha realidade da uma sensação de que o impossível não existe. André Vianco sabe criar uma fantasia com um aspecto de realidade, usando de elementos que podem ser conhecidos por muitos leitores (aqueles que moram em Osasco, por exemplo) e detalhes que nos dão a sensação de estar ali com os personagens. E isso é um sim: a narrativa é cheia de detalhes que pode incomodar algumas pessoas (eu mesma, às vezes me incomodo com livros com tantos detalhes) mas neste caso funciona super bem e não é cansativo. A cada capitulo algo acontece, então os detalhes servem justamente para saciar a curiosidade dos leitores.

É um pouco mais complicado falar sobre personagens. O livro é narrado em terceira pessoa e contém muitos personagens, alguns claro que tem maior destaque como Tiago e Eliana, Inverno e Gentil mas como temos vários pontos de vista eu não acho justo me estender nesses. Só ressalto que Inverno é o vampiro que você vai amar odiar e Tiago é o humano que você fica torcendo desde o inicio. Dos sete vampiros, além de inverno, gosto bastante de Gentil pois ele tem uma personalidade diferente dos outros, como o próprio nome já diz.

Durante todo o livro muitas vezes Sétimo é citado, e para quem não sabe tem o livro Sétimo que fala especificamente sobre este vampiro. Mas pensa numa pessoa que ficou agoniada para saber tudo sobre Sétimo, para ler a história dele e ter mais dele? Eu já li Sétimo, na mesma época em que li Os Sete a primeira vez mas com certeza preciso reler e poder relembrar o porque de ele ser tão temido.

Enfim, é uma leitura maravilhosa e que para quem ama fantasia, vampiros e literatura nacional é um prato cheio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário