10/06/2017

Entrevista com o autor: Paulo Henrique Bragança


Oláaa 

Como estão vocês?

Hoje tem post para conhecer um pouco mais outro autor de um livro nacional que foi publicado pela Editora Arwen: Paulo Henrique Bragança!

Ele é autor de Lexus - O Despertar da Escuridão, que logo terá sua resenha aqui ;D A entrevista foi feita durante a parceria com a Arwen, estou repostando para quem não conhece o autor ainda e para quem quiser ler novamente. 

Vamos conhecer o autor então! :D

11752452_977622732278877_8221045950848816158_n


Sinopse: Na cidade de Campos Elíseos, onde todas as condições de vida eram ideais, houve uma catástrofe de proporções inimagináveis. Tomados pelo terror, a verdadeira face da humanidade se revela? Fria e cruel. Bianca, uma adolescente comum, jamais imaginaria que faria parte da história. Jamais iria supor que ela seria a esperança para a cura da raça humana. Numa aventura cheia de perdas e de descobertas, só existe um objetivo: sobreviver.


Sobre o autor:

13694sk1435583933g



Paulo Henrique Bragança nasceu no interior de Minas Gerais. Começou sua carreira literária escrevendo resenhas e contos no blog Estante Jovem e após boa aceitação de seus escritores resolveu arriscar-se em uma nova aventura. Lexus é sua primeira obra e foi divulgado pela Editora Arwen.


Entrevista: 

→Por que começou a escrever? 

Nossa, já começamos com uma pergunta difícil, mas acho que foi a vontade de contar uma história que eu gostaria de ter lido. Todo escritor é um leitor que resolve contar suas próprias historias. 

→Como foi a experiência de escrever o livro? 

Foi trabalhoso e prazeroso ao mesmo tempo. Sem falar na experiência única de introspecção. Todo mundo deveria ter essa experiência pelo menos uma vez na vida. 

→Você teve alguma inspiração? Se sim, qual/quais? 

Sim! Me inspirei principalmente em jogos de vídeo game ao estilo survivor horror, Resident Evil e Dead Island. 

→Alguma playlist te inspirou em escrever? 

Evelyn, lembro que na época estava ouvindo algo mais alternativo; Lorde, Florence The Machine, Clarice Falcão... As vozes femininas me acompanharam na escrita. 

→Qual foi a sensação de ter sua obra publicada? 

No primeiro momento, realização e euforia. Depois veio o receio de não dar certo, de estar no caminho errado. Diria que é uma montanha russa, mas o que vale é persistir no sonho.

→Quando você descobriu que queria ser escritor? 

Foi quando o meu primeiro conto foi publicado na antologia Sombras e Desejos. Sempre gostei de escrever, mas nunca havia pensado nisso profissionalmente. Talvez fosse por não ter aquela confiança, que veio na publicação do conto. 

→O que lhe levou a escrever sobre este tema? 

Gosto pessoal. Sempre tive apreço pelo terror, e principalmente, zumbis. 

→Sua família/amigos sugeriu enredos para seu livro? 

Na verdade, meus pais e amigos mais próximos só ficaram sabendo do livro depois que eu já havia assinado o contrato de publicação. Fiz tudo meio escondido. Sou muito supersticioso quanto a projetos. Prefiro não revelar a ninguém, apenas depois de terminado. Me dá sorte. 

→Como vê a crítica ao seu trabalho? 

Eu tento tirar o melhor de cada resenha/critica, até porque aprendo muito com as opiniões dos leitores. E por enquanto tenho gostado muito das opiniões que ando lendo. 

→Faça um Top 5 de livros que você indica. 

Só cinco? Bem... Minha primeira indicação é Harry Potter. É uma saga incrível e cheia de camadas. Incluiria também Battle Royale, que é de um autor japonês. Para quem gosta de terror, O Cemitério, Stephen King e Sobre a Escrita, que é mais um livro de memorias do autor e repleto de dicas para novos escritores. E por último O Jogador Nº 1. 

→Os personagens possuem alguma relação com sua vida? Fale um pouco sobre eles. 

Sim! Um exemplo disso são os nomes, todos os personagens possuem nomes de amigos e parentes. Foi uma forma de agradecê-los meio informalmente. 

→Que dicas você daria para quem está começando a escrever um livro? 

Antes de escrever, leia muito. Leia de tudo e mais um pouco. Saia de sua zona de conforto. Se você escreve terror, leia terror, romance, fantasia. Isso aumenta a bagagem cultural e dá mais confiança ao escrito.


Recadinho do autor:

Bem, gostaria de agradecer a Evelyn pelo convite e dizer que foi uma honra responder a essa entrevista. O blog Cantar Em Verso tem sido um grande parceiro nessa caminhada.


Espero que vocês tenham gostado desta entrevista também, eu gostei de ter a oportunidade de entrevistar um autor e adorei as respostas. Até a próxima! Nós do blog ficamos felizes quando temos participações ^^


Abraços ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário