11/12/2017

RESENHA: LABIRINTO DE ESPELHOS



Título:
Labirinto de Espelhos
Autor: Bárbara Negrão
Editora: Talento da Literatura Brasileira
Páginas: 472
Onde comprar: Saraiva
Repost
Sinopse: Quando a estudante Eva Lins conhece o misterioso e sedutor Willian não imagina quais segredos ele podia esconder por trás de tanta beleza. Que ele é perigoso, ela pôde ver em seus olhos desde a primeira vez que se encontram, porém, a vontade de estar junto a ele é maior do que qualquer pressentimento que a jovem possa ter. Chocada pelas revelações, e ao mesmo tempo atraída e fascinada por todo o mundo novo que envolve Willian, Eva não se deixa intimidar e se entrega à história que promete ser a mais emocionante de toda sua vida, sem imaginar que mais mistérios estão para serem revelados.

 Resenha


Acordei no escuro perdida e confusa. Me mantendo imóvel sem coragem de abrir os olhos. Agora tudo estava calmo e silencioso. Onde estava a música do parque e como eu estava deitada sobre algo macio se eu estava no chão do labirinto de espelhos? Eu estava morta? Mexi-me e minha resposta foi logo respondida. Uma dor lancinante atravessou meu corpo inteiro fazendo-me arquear as costas. Eu não estava morta. A morte não poderia doer tanto assim.


De primeira preciso dizer: se você é fã de Crepúsculo e curte sobrenatural YA, vai amar este livro. Se é dos mimizentos, mantenha-se longe. Ninguém tá te obrigando.





Em muitos aspectos Labirinto de Espelhos assemelha-se ao sucesso citado: protagonistas se apaixonam, ela é humana, ele é um ser sobrenatural e algo obviamente vai dar errado. Só que a obra da Bárbara tem enredo - sim, sou do tipo que não gosta de Crepúsculo. Só que a narrativa desse livro não baseia-se no relacionamento deles. Há um história correndo e outros personagens realmente cativantes, como Dora, a mãe de Eva. Enfim, vou contar um cadinho, mas bem brevemente mesmo, porque falar de LdE é perigo de spoiler.

William sonha com uma garota aleatória já há muitos anos e convenceu-se de que ela não existia. Já estava começando a sentir tédio de sua existência, até que Dante, seu melhor amigo - com o qual ele divide uma missão - resolve que eles devem tomar caminhos separados. É aqui que William é mandado para a cidade de Eva.



Eva é uma adolescente comum que está com os sentimentos à flor da pele, pois seu melhor amigo, Noah, admitiu estar apaixonado por ela e após ser recusado, saiu da cidade. Por causa disso, Eva se mete em problemas que a levam a conhecer William - que ainda está em sua missão.
E pronto, não vou falar mais nada, vocês que leiam pra saber xD É sério, o livro é muito bom mesmo, me surpreendeu. Durante parte da narrativa (que é super agradável e fluida) há, claro, descrição do cotidiano deles e pá, mas não fica chato. E eu adorei que o romance entre eles não vem do nada, sacas? Há coisas que os puxam a isso.



Barbara conseguiu direitinho criar um clima que prende o leitor e faz você não se contentar em ler um capítulo só por vez. Ela termina todos eles (que são narrados em 1ª pessoa nas visões de Eva e William) com um gancho para o próximo que deixa você grudaaada.


Gostaria de dizer que estou revoltada com o final do livro (e já falei pra dona Bárbara). Que audácia acabar o livro daquele jeito! Preciso de Labirinto de Ilusões !



OBS: Esta resenha foi feita na época do lançamento do livro em sua primeira edição. Faço o repost agora por causa de sua segunda edição que está com mais uma capa arrasadora. 

Um comentário:

  1. OIiii

    Já tive minha fase Crepúsculo e já quis ler várias outras sagas similares, acho que foi uma vibe que todo mundo teve e na época achei super divertido. Hoje já não leio sobre o tema, mas não tenho mimimi, porque tem livro que é muito bom mesmo tratando de temas que a gente numa primeira vista quer desconfiar... Enfim, eu daria uma oportunidade, mas desanima pensar mesmo em iniciar mais uma série...haha, ando com mais de vinte sagas inacabadas e quero muito terminar algumas antes de iniciar com outras mais.

    Beijos

    De repente, no último livro

    ResponderExcluir