20/02/2018

Resenha: Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas? - O livro que inspirou Blade Runner



Título: 
Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas?
Autor: Phillip K. Dick
Editora: Aleph
Páginas: 336
Onde comprar: Saraiva
Sinopse: Edição especial de 50 anos do clássico que inspirou o filme Blade Runner. O livro traz acabamento em capa dura, impressão em duas cores, e 10 ilustrações exclusivas, assinadas por artistas nacionais e internacionais. São eles: Dave Mckean, Peter Kuper, Liniers, Elena Gumeniuk, Antonello Silverini, Rebecca Hendin, Danilo Beyruth, Guilherme Petreca, Gustavo Duarte e Bianca Pinheiro. Além de dois textos inéditos: um ensaio exclusivo para esta edição assinado pelo jornalista e escritor Rodrigo Fresán; e um ensaio de Douglas Kellner e Steven Best, acadêmicos da Universidade da Califórnia e da Universidade do Texas em El Paso, respectivamente, que analisa os cenários pós-apocalípticos criados por Dick nesta e em outras obras. Em uma terra decadente coberta por uma poeira radioativa e devastada por uma guerra atômica, Rick Deckard é um caçador de recompensas. Para melhorar seu precário padrão de vida, Deckard sonha sem substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro – um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira. Ele vê a chance de realizar esse desejo ao ser chamado para um novo trabalho: perseguir e aposentar seis androides que assassinaram seus mestres e estão refugiados. Mas as convicções de Deckard podem mudar quando ele percebe que a linha que separa o real e o fabricado não é mais tão nítida quanto acreditava. Androides sonham com ovelhas elétricas? retrata uma atmosfera sombria e perturbadora para contar uma história impressionante e abordar questões filosóficas profundas sobre a natureza da vida, da religião, da tecnologia e da própria condição humana.




Do mesmo autor do excelente e meio doido O Homem do Castelo Alto,  Andróides sonham com ovelhas elétricas conta a história de Rick Deckard, um caçador de andróides. Estes são escravos dados aos colonizadores de Marte - que fugiram da poeira radioativa da Terra após a maior de todas as guerras - e são tão parecidos com os humanos, que facilmente se confundem com eles, além de ter uma alta capacidade cognitiva. Devido a isso, por vezes, estes andróides sentem o mesmo que humanos sentem desde que o mundo foi criado: a vontade de ser livre. E então fogem para a Terra, onde podem se esconder mais facilmente na artificialidade que agora assola o planeta. E identificá-los e exterminá-los é o trabalho de Deckard. 







Após a guerra, não sobrou muita coisa limpa e viva na Terra, inclusive a maior parte dos animais foi varrida, criando assim um comércio de animais elétricos. Deckard possui uma ovelha elétrica e seu maior desejo é conseguir ter dinheiro suficiente para comprar um exemplar orgânico. Uma vez que são raríssimos, tornaram-se muito caros e agregam prestígio social ao dono. Com a fuga de alguns andróides de última geração e a recompensa por eles, Deckard vê a chance de um trabalho que possa lhe dar um ganho bom o suficiente para tornar seu desejo real. 



A crítica social não é tão clara quanto em outros livros do autor, mas coisa aqui e ali ficam bem escancaradas como o abandono total da Terra aludido pela poeira que toma conta de tudo. Além disso - e o mais importante sobre o enredo - há a discussão sobre o que torna algo humano. Isaac Asimov brincou com isso em Eu, robô (e o filme felizmente fez um bom trabalho abordando o tema), mas Dick levou a discussão a outro patamar. Os personagens são colocados à prova o tempo todo e o mais legal da construção de Deckard é que ele termina como alguém questionador e inseguro. A desestruturação da sua realidade após conhecer a andróide que engana a escala Voigt-Kampff não é vista como algo nocivo, mas a disparadora da evolução do pensamento. Sem dúvida você vai se pegar lembrando do filme Inteligência Artificial.



O livro também flerta com a noção de fé e religiosidade e preciso deixar claro aqui que a tecnologia proposta pelo Mercerismo é muito Black Mirror! É tanto perigosa, quanto chamativa e ridícula. Consiste na ''Caixa de Empatia'' onde você pode se conectar a uma rede e sentir os sentimentos dos outros, assim como todos os sofrimentos de Mercer, profeta da religião. Sentiu o arrepio BM? Eu também. 




Enfim, o que você vai se perguntar durante a leitura e após terminá-la é: O que forma uma consciência? E se a coisa a tem, é humana? Seria correto destruí-la? E se eu, orgânico, sonho com uma ovelha orgânica, andróides sonham com ovelhas elétricas? 

P.S.: Preciso deixar claro que não é uma leitura fácil nem cheia de ação, mas tem o plot twist comum às tramas do Dick. E o filme é diferente do livro. 



Sobre a edição: MARAVILHOSA. Vem com uma jacket em tons de rosa, azul e lilás (bem parecido com a paleta do filme), a capa é dura com ilustrações, as folhas tem um material diferente e mais forte. Conta ainda com uma carta do Phillip Dick aos produtores do filme, uma entrevisto ao The Twilight Zone e posfácio do tradutor. A diagramação é, claro, ótima, como todas da editora têm sido. Edição pra ninguém botar defeito. Vou deixar o review que fiz dela em destaque lá no instagram: @cantaremverso




E é isso, pessoal! Já leram? Viram o filme? O que acharam?

20 comentários:

  1. Morri de inveja aqui! Rsrsrs

    Não li esta edição. Sim, claro que já vi o filme e amei!

    Estou doida por esta edição é ver suas imagens me deixou maias doida ainda.

    Eu ganhei a edição de exoneração de Forrest Gump e que edição!

    Fiquei com mais vontade ainda de sair correndo e comprar logo o meu exemplar, mas estou em um momento de "sem compras". Que agonia!

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Essa edição está maravilhosa e quero na minha estante..
    Ainda não li a história e está na minha meta, mas agora quero nessa versão ahuihauihaiuhauihauihauihuia

    Amei
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Quando vi o título pensei que fosse ser um livro de ficção científica sim, mas recheado de comédia. Conforme li sua resenha, percebi que me deixei levar pelo título muito rápido.
    Não é qualquer ficção científica que me atrai e, infelizmente, essa não foi uma das que conseguiu, por isso, mesmo tendo adorado sua resenha, passo a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Eu não sabia do que se tratava o livro, mas fiquei bem interessada depois de ler sua resenha. A edição está bem caprichada. Vou anotar a dica aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Confesso que nunca tive muita curiosidade sobre o livro, pois já ouvi exatamente o que você falou: não é uma leitura fácil. Para quem está ainda se aventurando no gênero, não seria uma boa opção no momento. O filme, este sim AMEI e me despertou muita curiosidade. Que bom saber que é diferente do livro (pensava que eram iguais). A edição é muito linda mesmo, adorei <3 Ótima resenha!
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Que edição mais linda! Eu fiquei curiosa com a leitura, gostei de ver a sua opinião sobre o livro e me interessei para ler também.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Essa edição está muito linda, néh?
    Tenho muita vontade de comprar esse livro para conhecer sobre a história, mas, vou esperar um pouco, também não assisti nenhum dos filmes sobre ele. Gostei da sua resenha.

    Beijos e Abraços VIVI
    http://vickyalmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu tinha esse livro em minha estante, uma edição mais antiguinha e eu acabei fazendo troca porque julguei que não iria me interessar, agora lendo sua resenha me arrependo, super me deu vontade de ler, e que capa linda!

    ResponderExcluir
  9. Essa edição está maravilhosa, amei todos os detalhes que você mostrou. Tenho vontade de ler esse livro, principalmente por ter sido a inspiração para Blade Runner.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  10. A edição é linda, mas a trama não me chama atenção. Não é o tipo de enredo que me prende. Por outro lado eu gostei do Eu, Robô, assim como Black Mirror então posso estar perdendo uma grande aventura. Vamos deixar anotada a recomendação, se rolar a oportunidade eu leio.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá! A leitura desse livro não parece fácil, deve ser bem densa e te fazer pensar em inúmeras coisas e nada disso faz com que seja ruim, e sim maravilhoso! A edição é linda e sua resenha também, assim como as fotos! Com certeza eu lerei este livro pois já vi muita coisa sobre ele e sempre me chama atenção <3

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  12. Olá Grazi, eu não conhecia esse livro, mas pela sua resenha ele parece ter um enredo bem bacana e com alguns bons pontos de reflexão *-* Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Achei o projeto gráfico muito bem feito e apesar de não conhecer essa obra, achei interessante o enredo, assim como os elementos que o autor usa ao longo da narrativa.
    Me agradaria realizar essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  14. Estou lendo esse livro. Preciso te falar que pulei várias parte da tua resenha. Mas é por um bom motivo. Quero voltar aqui depois para ler com calma tuas considerações. Eu não tenho essa edição. Preciso muito dela. Estou esperando uma promoção.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Adorei saber do livro, tenho amigos que adoram o filme e vão adorar saber do livro. É uma temática que não me atrai muito, mas que uma hora ou outra sempre tem a sua vez comigo. Parabéns pelo que escreveu.

    ResponderExcluir
  16. primeiro, sua resenha ficou perfeita, bem feita e coerente, dá prazer em ler. "é muito Black Mirror" este trecho já é suficiente para eu querer o livro, que conheço, mas não tenho.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que edição ótima, a editora Aleph nunca decepciona. Estou ansioso para assistir Blade Runner. Sobre a premissa do livro, parece super interessante. Amo quando o assunto é espaço, ficção científica. Parabéns pela resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Grazi ^^
    Está ai um livro que almejo bastante ler principalmente após essa edição comemorativa e também por conta da continuação recentemente lançada cinematograficamente. Entretanto, o motivo que me faz procrastinar a leitura é simples: vi uma enxurrada de resenhas onde todas tem um ponto em comum: a leitura dessa obra não é rápida e é exaustiva. Esse detalhe que pode parecer nada para alguns me é de extrema válida pois a sensação de decepção geralmente me assola quando isso ocorrer e não desejo sentir loga agora por esse livro do Isaac.
    O filme do século me deixou bastante boquiaberto com tudo e pense na minha surpresa quando vejo todos falarem que não tem nada haver com o livro!!! Só fico na torcida que a adaptação finalmente superou o seu original pois é algo que não encontramos nos dias de hoje no cinema. ahsuahus
    Parabéns pela resenha, girl. Ah, e sobre menção a Black Mirror acho que devemos tirar os créditos deles e dar com mérito para Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas porque acredito fielmente que esse livro foi o que influenciou os criados da série. :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Olá Grazi,
    Eu ainda não li nada desse autor, mas achei muito legal ele conter críticas sociais e elas ficarem escancaradas em alguns momentos. Outro ponto que chamou muito minha atenção nesse livro foram as questões sobre consciência, eu amo quando isso acontece.
    Adorei sua resenha e as fotos e vou super anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Excelente artigo! Definitivamente vou ler o livro! Esse filme é um dos melhores do gênero que eu vi até agora. As cenas com esses personagens são muito boas! Amei o trabalho de Harrison Ford. Sinceramente os filmes desse gênero não são os meus preferidos, mas devo reconhecer que este filme superou minhas expectativas. Na minha opinião, Blade Runner 2049 foi um dos melhores filmes que eu vi no ano passado. Mais que filme de ação, é um filme de suspense, todo o tempo tem a sua atenção e você fica preso no sofá. Desfrutei muito deste filme pelo bom enredo e narrativa que tem. É uma historia que vale a pena ver.

    ResponderExcluir