02/03/2018

Resenha: Entre a culpa e o desejo



Título:
Entre a culpa e o desejo - O Clube dos Canalhas #2
Autor: Sarac MacLean
Editora: Gutenberg
Páginas: 304
Onde comprar: LOJAS QUE VENDE O LIVRO
Sinopse: Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece. Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família. Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger. Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar.



O segundo livro da série ''O Clube dos Canalhas'' é simplesmente delicioso. Logo após os eventos do primeiro livro, nos deparamos com a história de Lady Phillipa, irmã de Penelope, e ''Cross'', um dos sócios do Anjo Caído. Pippa é uma cientista e não dá a mínima para a convenção social de que mulheres não devem ser curiosas ou se interessar por algo além da família. Ela sabe muito bem que não se encaixa nos ideais femininos da sociedade e ao ser pedida em casamento por um jovem adequado, porém com quem ela não sente nem uma leve empolgação, decide achar uma cobaia para um experimento: descobrir a extensão dos prazeres conjugais com alguém possa realmente fazê-la sentir algo. 



E assim seu caminho se cruza com o amigo e sócio de seu novo cunhado, Cross. Assim como todos os outros, Cross tem seus mistérios e vive uma vida devassidão e pecados por conta de algo de seu passado. Quando Pippa o aborda e e faz seu pedido, ele logo pensa que ela é mais teste em sua vida para provar que ele não vale nada. E com a insistência da garota, ele se vê no limite de seu auto-controle e respeito pela promessa que fez a si mesmo logo após o incidente que causo o maior arrependimento de sua vida. 



A  narrativa desse segundo livro tem um pouco mais de ação e mistérios do que a do primeiro e isso é algo que se mantém nos outros livros (já li toda a série e posso dizer que a profundidade dos segredos deles só aumenta). Pippa é a mocinha mais acidentalmente divertida e original que li nos livros da Sarah MacLean. Ela se interessa por ciências, mais ainda pela botânica. Cada passagem do livro é dividida por um desenho de um óculos - que ela usa, afinal, é característica dos inteligentes em qualquer meio de entretenimento - e cada capítulo inicia com alguma anedota envolvendo ciência e sua vida comum. É brilhante e deixa o enredo mais leve e interessante. É, finalmente, uma mudança das mocinhas conformadas que temos em muitos dos livros de Romances de Época. A empolgação da Pippa no casamento é saber que seu futuro marido concorda que ela é muito mais apta a cuidar de suas finanças e negócios do que ele mesmo. 


Já Cross é bastante difícil de se gostar no início (assim como o Bourne), mas a medida que ele se envolve com a Pippa e eles engajam em conversas impagáveis que nunca imaginei ler num RdE, o leitor vai começando a entender de onde vem toda a amargura que ele parece guardar e entendemos que apenas Pippa poderia salvá-lo da trama em que ele envolveu sua família. E por isso o título fica ''entre a culpa e o desejo''. Cross claramente quer Pippa, mas a culpa que sente não o deixa sentir que a merece. E até o final do livro ainda não sabemos se ficarão juntos. É muita angústia!


Sarah MacLean nunca erra na dose de seus mistérios, dramas ou comédias e sempre deixa a narrativa super fluida e divertida. Eu li o livro em dois dias. Pra mim um RdE é um fracasso se você - por questões não relativas a tempo - precisar de mais que 4 dias para terminá-lo, afinal a maioria mal chega a 300 páginas e o tipo de escrita é feito para ser confortável e instigante. Então, Entre a culpa e o desejo é um dos ótimos! Alias, todas essas narrativas que foram puxadas desde Nove regras a ignoras antes de se apaixonar são ótimas. Recomendo demais. 

Sobre a edição: vi alguns erros de revisão, mas nada que atrapalhe a leitura. O padrão da diagramação se mantém, mas cada livro tem o símbolo de sua mocinha marcando as diferenças de tempo entre cada cena. As folhas são amareladas e de boa qualidade, assim como a capa. As modelos da capa, aliás, são parecidas com as descritas no livro. Oh, glória. Faltou só o óculos na Pippa, mas eu perdôo. No geral, uma boa edição. 



E é isso, pessoas. Gostaram? Já leram? Me contem!

Fiquem ligados para as próximas resenhas da Sarah MacLean.

Nenhum comentário:

Postar um comentário